Salas de concertos de nível internacional no Brasil

Lentamente os critérios acústicos estão entrando nos projetos brasileiros. Enquanto os projetos acústicos de edificações residenciais seguem parâmetros bem definidos pelas normas de desempenho, NBR 15575, e de conforto acústico, NBR 10152, alguns projetos precisam ser tratados como instrumentos musicais como no caso das salas de concertos.

As salas de concerto são ambientes onde a acústica arquitetônica atinge seu auge. Os parâmetros acústicos utilizados para projeto desses ambientes, embora bem definidos matematicamente, às vezes podem ser ajustados conforme o ouvido do maestro.

Depois de resolvido o problema do isolamento acústico, o som que fica dentro do ambiente deve ser tratado para que o ambiente responda da melhor forma possível ao seu objetivo principal. O projeto acústico interno de um ambiente esta intimamente ligado ao uso a que se destinará. No caso da sala de concerto, não é apenas a música erudita que define o projeto, ele pode variar para música barroca, romântica, clássica e outras. Já no caso de templos, cada linha filosófica ou culto religioso exige um projeto acústico específico, diferente para as demais religiões.

Salas Minas Gerais e São Paulo

Com um projeto feito especialmente para música sinfônica a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais ganha nova casa. O projeto foi desenvolvido pelos acústicos da Acústica & Sônica e da Akustiks com modernas técnicas de simulação sonora, juntamente com o uso de maquetes para validar o projeto antes mesmo de ser construido. Assim como a Sala São Paulo, projetada pelo arquiteto Neslon Dupré juntamente com os acústicos Russel Johson, Christopher Blair e José Augusto Nepomuceno, conta com um teto móvel que permite variar o volume do ambiente para se adequar ao tipo de música se será executada.

salas de concertos, Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. Sala Minas Gerais

Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. Sala Minas Gerais. Projeto: Arq. José Augusto Nepomuceno.

Ao mesmo tempo em que a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais ganha nova casa, a Sala São Paulo entrou na lista do jornal britânico “The Guardian” das 10 melhores salas de concerto do mundo.

“Quando surgiu necessidade de um novo endereço para a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paolo (sic) nos anos 1990, um espaço que poderia, a princípio, parecer bastante improvável foi escolhido: uma área de espera a céu aberto junto a uma estação ferroviária. A ‘piazza’ tinha as medidas certas, a largura era a mesma da Boston Symphony Hall e o comprimento e a altura, iguais aos da Grosser Musikvereinssaal, em Viena. Frequentadores de concertos ainda podem admirar as gigantescas colunas da praça original, bem como o gigantesco teto móvel que ajuda a mudar a acústica dependendo se a orquestra tocar música barroca ou romântica”

E você já esteve em alguma dessas duas salas? O que achou da acústica de ambas?

Orquestra Filarmônica de MG estreia sede com acústica de alto nível

A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais mostra pela primeira vez sua casa ao público neste sábado (28) em Belo Horizonte. A Sala Minas Gerais, projetada exclusivamente para música sinfônica, promete acústica impecável para ouvidos exigentes. No repertório, o Hino Nacional Brasileiro, de Francisco Manuel da Silva, e a Sinfonia nº2 em dó menor, Ressurreição, de Gustav Mahler. Os ingressos estão esgotados.

Construído desde 2013 no Barro Preto, na região centro-sul de BH, o espaço recebeu investimentos de R$ 179 milhões e tecnologia de ponta. A sala foi concebida por profissionais referência mundial em acústica, e a partir daí recebeu o projeto de engenharia.

Como inspiração, salas consagradas pela música clássica, como a Boston Symphony Hall, a Musikverein de Viena, a Sala São Paulo e a Philarmonie, em Berlim.

Para o diretor artístico e regente titular da Filarmônica de Minas Gerais, Fabio Mechetti, uma grande orquestra só executa as peças com plena capacidade em uma sala de alto nível acústico.

— Estamos muito animados e com a certeza de dar um salto artístico qualitativo importan­tíssimo para uma orquestra que, desde sua criação, há oito anos, tem a excelência como meta. A partir de agora, ensaiaremos e tocaremos no mesmo espa­ço, e, com isso, poderemos, finalmente, trabalhar articulação, balanço equilíbrio.

De acordo com a peça a ser executada pela Filarmônica, a posição dos músicos e de equipamentos dispostos sobre o palco pode variar, para proporcionar a melhor qualidade do som. O projeto também contempla sofisticado sistema de iluminação e de gravação de áudio e vídeo.