Como controlar ruído de aeroportos por meio do paisagismo

Os problemas de ruído urbano são muitos. Alguns mais fáceis de controlar e outros mais complexos, como os relacionados ao ruído de aeroportos, em especial os pouso e decolagens de aeronaves. A medida mais comum para resolver esse problema consiste na limitação de horários de pousos e decolagens, o que interfere diretamente em aumento de custos em várias operações comerciais. Embora a indústria aeronáutica tenha investido no desenvolvimento de aeronaves mais silenciosas, o ruído das turbinas ainda é de alta intensidade e com fortes componentes de baixas frequências, o que torna seu controle especialmente complicado. Além disso, devido ao longo ciclo de vida, muitas aeronaves em operação não possuem os mecanismos de controle de ruído desenvolvidos mais recentemente.

Pensando nesses problemas, o aeroporto Schiphol, em Amsterdam, criou uma solução eficiente de controle de ruído para a região do seu entorno usando história, arte e ciência. Para tanto, foi criado logo após a borda da pista uma grande obra paisagística com o intuito de atenuar o ruído de baixas frequências das aeronaves. Um parque urbano formado por uma série de elevações e vales, como se fosse uma grande aragem do solo, com espaçamento e geometria que proporcionam grande atenuação do ruído propagado ao nível do solo.

controle de ruído, ruído de aeroportos, schiphol, soundscape, paisagismo, Buitenschot, holanda, amsterdan

O espaço verde de 80 acres é o Buitenschot Terra Art Park. Seus montes e vales abrigam ciclovias e quadras esportivas, mas seu principal objetivo é atenuar o ruído de baixa frequência gerado nos pousos e decolagens dos aviões.

Schiphol é um dos aeroportos mais movimentados do mundo, sendo um importante ponto de parada para transporte de cargas intercontinentais. Mais de 1.600 voos entram e saem a cada dia, o dobro do observado no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, o mais movimentado do Brasil. Porém, as reclamações dos bairros vizinhos ao aeroporto começaram quando uma nova pista foi construída em 2003, a Polderban. Moradores podiam ouvir o barulho a mais de 40 quilômetros de distância, e de forma incessante.

A solução na história

Quando os militares holandeses construíram a primeira pista de pouso na região onde hoje está o aeroporto, em 1916, o local foi escolhido por ser um pôlder – área plana, de baixa altitude, ampla e aberta, surgida do processo de remoção da água – perfeito para pousos de aviões. Porém, essas características a fazem funciona como um grande refletor acústico, espalhando o som dos aviões em toda região.

Durante os estudos do projeto para controlar o ruído, a equipe de projetistas encontrou algo interessante e que os agricultores locais já conheciam há séculos: os campos quando arados atenuavam o barulho. As cristas repetitivas criadas pelos agricultores eram boas para amortecer as ondas sonoras de baixa frequências e de propagação rasante. Por outro lado, no inverno, quando o solo é duro e liso, o pôlder pode servir como uma enorme refletor acústico. Desse fato surgiu a ideia para De Kort de como projetar um sistema permanente de sulcos em todo parque para atenuar o ruído no entorno do aeroporto.

controle de ruído, ruído de aeroportos, schiphol, soundscape, paisagismo, Buitenschot, holanda, amsterdan

Land Art

A Holanda tem uma longa história de moldar o ambiente físico para atender às necessidades dos cidadãos. Amsterdam, por exemplo, é construída em torno de um sistema de canais artificiais. Assim, um projeto de paisagismo em larga escala no aeroporto Schiphol não estava fora do costume local. Decidiu-se então por reinventar o terreno circundante ao aeroporto para abafar o máximo possível o ruído de baixa frequência. Para realizar a ideia, trouxeram arquitetos paisagistas do escritório H+N+S Landschapsarchitecten e o artista Paul De Kort, que projetou o parque em forma de labirinto.

controle de ruído, ruído de aeroportos, schiphol, soundscape, paisagismo, Buitenschot, holanda, amsterdan

Imagem: Paul de Kort

A Land Art, também conhecida como Earth Art ou Earthwork é o tipo de arte em que o terreno natural, em vez de prover o ambiente para uma obra de arte, é ele próprio trabalhado de modo a integrar-se à obra. A land art de Paul de Kort, artista que projetou Buitenschot Terra Art Park, se volta para o sentido mais prático, frequentemente com obras de infraestrutura.

Meu trabalho como artista tem a ver com todos os tipos de situações no domínio público. Estes são os tipos de projetos que me solicitam com mais frequência, mas são problemas típicos holandeses e não chamam atenção internacional”.

De Kort baseou-se nos padrões criados por Chladni do século 17. Em seus experimentos sobre acústica, o cientista alemão Ernst Chladni espalhou areia ou sal em uma placa de metal e passou um arco de violino na borda da mesma para que ela vibrasse e fizesse com que os grãos se reorganizassem formando desenhos. O artista também estudou técnicas agrícolas históricas usadas no local, a região Harlemmermeer, para chegar a seu design.

Atenuação de ruídos de baixas frequências

O ruído de baixas frequências (sons graves) é difícil de controlar devido ao seu grande comprimento de onda. Como em acústica as dimensões são relativas ao comprimento da onda sonora incidente, as ondas sonoras de baixas frequências não são afetadas por barreiras acústicas tradicionais, como as utilizadas em rodovias. Sons de baixas frequências possuem comprimento de onda longo e contornam facilmente qualquer obstáculo com dimensões convencionais. Por exemplo, um som de 100 Hz possui um comprimento de onda em torno de 3,4 m. Assim sendo, qualquer obstáculo com dimensões menores que 3,4 m não será “visto” por uma onda de 100 Hz que passará por ele sem ser afetada.

Partindo deste princípio, o aeroporto teve que utilizar uma maneira mais elaborada e inteligente para atenuar o ruído das aeronaves. Em 2008, eles buscaram a Organização Holandesa para Pesquisa Científica Aplicada [TNO] para realizar o estudo de controle de ruído. O instituto de pesquisa constatou que, no outono, após os campos próximos ao aeroporto terem sido arados, os níveis de ruído diminuíam significativamente. Os sulcos feitos pela aragem do terreno atenuava o som porque eles criavam múltiplas elevações para absorver as ondas sonoras.

controle de ruído, ruído de aeroportos, schiphol, soundscape, paisagismo, Buitenschot, holanda, amsterdan

Com essa ideia, de Kort usou o GPS para criar 150 sulcos perfeitamente retos e simétricos com cumes de até 3 metros de altura entre eles. O layout final do projeto criou uma série de aproximadamente 150 sulcos espaçados entre si de modo que a distância entre as cristas, com até 3 metros de altura, seja equivalente ao comprimento de onda do ruído do aeroporto, aproximadamente 10 metros.

controle de ruído, Buitenschot Terra Art Park projeto, ruído de aeroportos, schiphol, soundscape, paisagismo, Buitenschot, holanda, amsterdan

controle de ruído, ruído de aeroportos, schiphol, soundscape, paisagismo, Buitenschot, holanda, amsterdan

Imagem: H+N+S Landscape Architects.

controle de ruído, Buitenschot Terra Art Park, ruído de aeroportos, schiphol, soundscape, paisagismo, Buitenschot, holanda, amsterdan

Finalizado em outubro de 2013, o Buitenschot cortou o nível de ruído ambiente pela metade quase imediatamente. Foram montados 35 pontos de monitoramento de ruído em torno da região, e quando testado em 2014, o nível de ruído em cada ponto não excedeu o nível desejado. O aeroporto está tentando reduzir ainda mais os níveis de ruído definindo quando determinados aviões podem decolar e exigindo das companhias aéreas atualizar suas frotas.

O sucesso do projeto está fazendo com que outros aeroportos movimentados, como o de Melbourne e Gatwick em Londres, sigam a ideia de colocar barreiras acústicas naturais, semelhantes aos de Schiphol.

Será que projetos desse tipo seriam viáveis no Brasil? Vocês conhece algum aeroporto onde tal projeto poderia ser aplicado?