Você sabe do que trata a Norma de Desempenho – NBR 15 575?

A NBR 15575:2008 é resultado do investimento da CEF,  por meio de Projeto FINEP, cujo objetivo é de criar uma metodologia para avaliação de sistemas construtivos inovadores. Ela, que está em fase de revisão e deverá entrar em vigor em março de 2013, define os itens de desempenho para edificações residenciais de até cinco pavimentos.

Na norma, são definidos critérios e métodos de avaliação de desempenho de 5 sistemas:  estrutura, pisos internos, vedações externas e internas, coberturas e instalações e hidrossanitárias.

A NBR15575 se divide em seis partes conforme abaixo:

ABNT NBR15575-1 Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho – Parte 1: Requisitos gerais.
ABNT NBR15575-2 Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho – Parte 2: Requisitos para os sistemas estruturais.
ABNT NBR15575-3 Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho – Parte 3: Requisitos para os sistemas de pisos internos.
ABNT NBR15575-4 Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho – Parte 4: Sistemas de vedações verticais externas e internas.
ABNT NBR15575-5 Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho – Parte 5: Requisitos para sistemas de coberturas.
ABNT NBR15575-6 Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho – Parte 6: Sistemas hidrossanitários.

Como você pode perceber, o conjunto da norma de desempenho é bastante grande e complexo, e observou-se que um dos itens mais complicados é o da Acústica, muito por falta de conhecimento das grandezas acústicas e, também, pela acústica ser tratada, até aqui, como luxo ou item muito custoso.

Algumas construtoras têm buscando entender e conhecer seus processos construtivos de forma individual, porém, a formação de grupos de construtoras para estudar e analisar os dados parece o melhor caminho para o entendimento do que a norma pede. Esse “modelo” de trabalho em conjunto começou em São Paulo e já esta sendo aplicado em outras localidades como Florianópolis.

Com este novo adiamento, as construtoras ganham mais uma chance para avaliar se suas construções atendem as novas exigências acústicas. Essa é a hora de testar o máximo possível e ajustar as falhas que houverem. No próximo ano a cobrança virá do consumidor e poderá se bastante custosa!