Teatro Amazonas ganha Concha Acústica

Num passo a mais para se destacar entre as grandes casas de espetáculos do mundo, o Teatro Amazonas ganhou em 2011 uma concha acústica. Composto de placas móveis de madeira dispostas sobre o palco e em volta dele, o equipamento é usado para refletir o som em direção à plateia, garantindo assim a qualidade de percepção de som por parte do público. “Conchas acústicas existem nos principais teatros do mundo”, declara Robério Braga, titular da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), destacando a importância do novo equipamento.

A aquisição, ele explica, faz parte de uma série de melhorias previstas pelo Programa de Qualificação Técnica do Teatro Amazonas, promovido pelo Governo do Estado por meio da secretaria. “O programa prevê não só a colocação da concha acústica, como ainda a instalação de luzes LED no palco e a modernização de todo o sistema de iluminação do teatro.Também inclui a recuperação com a pintura das áreas interna – já iniciada – e externa”, resume o secretário Robério Braga, acrescentando que o programa, definido como prioridade pelo governador Omar Aziz, deve seguir até julho ou agosto de 2012.

Novidade

Aguardada A instalação da concha acústica no palco do Teatro já era um sonho antigo dos Corpos Artísticos da SEC, em particular da Amazonas Filarmônica, da Orquestra de Câmara do Amazonas (OCA) e do Coral do Amazonas. Marcelo de Jesus, diretor dos Corpos Artísticos e regente titular da OCA, explica que o equipamento é utilizado especialmente em concertos de música clássica, evitando a “fuga” do som e, assim, exigindo menos esforço dos instrumentistas. “Sem a concha, era necessário fazer balanços não naturais, pedindo aos músicos para tocar mais forte do que o necessário. As trompas, por exemplo, têm a saída de som virada para trás e, sem um rebatedor, o instrumentista precisa tocar mais forte para ser ouvido. Isso é algo que se pode fazer uma vez ou outra, mas não é saudável nem para o músico nem para a dinâmica da orquestra”, afirma ele. A concha confeccionada para o Teatro Amazonas é composta de 22 placas – 10 delas no chão e outras 12 sobre o palco – de MDF, forradas com uma lâmina de madeira especial para acústica. Móveis, elas podem ser recolhidas quando não necessárias, encaixando-se umas nas outras ou, no caso das placas superiores, sendo elevadas até a urdidura. As pranchas podem também ser dispostas em configurações diferentes para cada espetáculo. “A partir dos ângulos dessas placas sobre o palco, podemos trabalhar sonoridades diferentes, de acordo com o repertório do espetáculo”, diz De Jesus.

Iluminação moderna

Outra mudança já em curso no palco do TA é a substituição dos velhos refletores incandescentes por lâmpadas de LED, que são mais modernas e produzem menos calor. “Com a iluminação que tínhamos, o calor era maior do que o normal. Sob a concha, seria impossível tocar com outra luz, exceto aquela de LED”, explica De Jesus. O regente finaliza dizendo que o público notará a mudança até mesmo na aparência do palco: “Há um impacto visual, com orquestra inteira fechada no palco, e o som inteiramente voltado para os espectadores”.

Fonte: A Crítica.com